Da crise à reinvenção dos sindicatos na era digital: a teoria do reconhecimento como proposta de proteção social

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.12795/e-RIPS.2021.i02.16

Palabras clave:

Sindicatos em rede, Software, Teoria do reconhecimento, Tecnología, Direito do Trabalho

Resumen

O presente artigo analisa o movimento sindical brasileiro a partir da crise do Direito do Trabalho ocasionada pelas novas tecnologias. A pesquisa é teórica, tendo como pano de fundo a noção de uma era do software, na qual as tecnologias da informação e comunicação são instrumentalizadas para precarizar o trabalho humano, culminando no agravamento da crise dos sindicatos obreiros e do próprio Direito do Trabalho. Desse diagnóstico objetiva-se,na presente pesquisa, por meio de um método jurídico-prospectivo, apontar tendências futuras para o sindicalismo obreiro, na tentativa de indicar caminhos para a superação do atual cenário de enfraquecimento dos movimentos sindicais no Brasil. Para tal formulação, propõe-se uma investigação interdisciplinar tendo como importante marco teórico a teoria do reconhecimento recíproco de Axel Honneth em diálogo com as abordagens sobre redistribuição de renda e os novos movimentos sociais. Nesse contexto, aponta-se a importância de que os sindicatos se articulem em redes e engajem-se politicamente para além das pautas econômicas, utilizando-se das novas tecnologias da informação e da comunicação como instrumentos de reaproximação com as bases, reconstruindo os laços de solidariedade tão caros para as lutas sociais empreendidas no mundo do trabalho.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Marcos Paulo Da Silva Oliveira, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Doctorando en Derecho Laboral, con beca de investigación internacional de la Coordenação de A
perfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) do Brasil

Profesor de Derecho

Citas

Almeida, C.: “Redução e Expansão do Direito do Trabalho: por um direito do trabalho de segunda geração”, em AA.VV.: Direito Material e Processual do Trabalho: III Congresso Latino-americano de Direito Material e Processual do Trabalho, LTr, São Paulo, 2016.

Antunes, R.: O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital, Editora Boitempo, São Paulo, 2018.

Bauman, Z.: Modernidade Líquida, Zahar, Rio de Janeiro, 2001.

Beck, U.: Sociedade de risco - Rumo a uma outra modernidade, Editora 34, São Paulo, 2011.

Chaves, D.; Ferreira, C.; Dantas, M.: “Reconhecimento e Trabalho: a aplicação da teoria de Axel Honneth no âmbito laboral”, in Diniz, F. P.; Pereira, H. V. (org.): Estudos Contemporâneos em Direito Público e Privado (vol. 1), D’Plácido, Belo Horizonte, 2015.

Consentino, C.: Direito do Trabalho, Tecnologias da Informação e da Comunicação: impactos nas relações individuais, sindicais e internacionais do trabalho, RTM, Belo Horizonte, 2018.

Dardot, P; Laval, C.: A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal, Boitempo, São Paulo, 2016.

Honneth, A.: A Luta Por Reconhecimento: A gramática moral dos conflitos sociais, Editora 34, São Paulo, 2003.

Honneth, A.: O Direito da Liberdade, Martins Fontes, São Paulo, 2015.

Honneth, A.: “Trabalho e reconhecimento: tentativa de uma redefinição”, Civitas - Revista De Ciências Sociais, vol. 8, num. 1, 2008.

Honneth, A.; Fraser, N.: ¿Redistribución o reconocimiento?: un debate politico-filosófico, Morata, Madrid, 2006.

Oliveira, M.: “O direito sindical como esfera do reconhecimento”, Cadernos de Direito, Vol. 18, num. 34, 2018.

Teodoro, M.: O princípio da Adequação Setorial Negociada no Direito do Trabalho, Ltr, São Paulo, 2018.

Teodoro, M.: “Por um Direito do Trabalho Repersonalizado”, em AA.VV.: Direito Material e Processual do Trabalho: III Congresso Latino-americano de Direito Material e Processual do Trabalho, LTr, São Paulo, 2016.

Descargas

Publicado

2021-12-31

Cómo citar

Da Silva Oliveira, M. P. (2021). Da crise à reinvenção dos sindicatos na era digital: a teoria do reconhecimento como proposta de proteção social. E-Revista Internacional De La Protección Social, 6(2), 354–371. https://doi.org/10.12795/e-RIPS.2021.i02.16

Número

Sección

Artículos