A mídia e a construção de uma nova representação social do idoso

Simone Antoniaci Tuzzo, Claudomilson Fernandes Braga

Resumen


O acelerado envelhecimento da população mundial e em especial no Brasil e sua participação na sociedade brasileira e por consequência a sua ressignificação no discurso midiático são pontos fundamentais neste trabalho que analisa a postura das organizações para a formação da opinião pública em relação ao tema. A partir do método de pesquisa qualitativa e tendo como referência analítica a ADC – Análise de Discurso Crítica o artigo tem como corpus as campanhas veiculadas no Brasil pelo Banco Itaú e pelo Burger King, desenvolvidas a partir da prática de storytellings, cujos resultados indicam que, além de um novo significado atribuído ao público idoso, os sentidos impingidos nas campanhas também despertam emoções que reforçam a nova postura das organizações e das marcas diante de uma nova e definitiva realidade social.

 

Palabras clave


Pesquisa cualitativa; Análise Crítica de Discurso; Idoso; storytelling; sentidos. Qualitative research; Critical Discourse Analysis; Old man; Storytelling; feelings.

Referencias


BEZERRA, Ada Kesea G. (2006): A construção e reconstrução da imagem do idoso pela mídia televisiva. Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Universidade Federal de Campina Grande. Disponível em: . Acesso em: 05 Jan 2017.

BOSI, Ecléa. (1994): Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras.

BRAGA, Claudomilson Fernandes; Campos, Pedro Humberto Faria. (2016): Representações sociais e comunicação: a imagem social do professor na mídia e seus reflexos na (re)significação identitária. Goiânia: Editora Kelps.

CHIZZOTTI, Antonio. (1991): Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. São Paulo: Cortez.

COGO, Rodrigo Silveira. (2012): Da memória ao Storytelling: em busca de novas narrativas organizacionais. Dissertação de Mestrado. USP: São Paulo.

CORREA, Mariele Rodrigues. (2009): Cartografias do envelhecimento na contemporaneidade: velhice e terceira idade. São Paulo: Editora UNESP.

FAIRCLOUGH, N. (2003): Analysing Discourse: textual analysis for social research.London: Routledge.

FERREIRA, Matheus: (2017).King Senior: Burger King aposta no público com mais de 70 anos. Disponível em: . Acesso em: 10 fev 2017.

FIGUEIREDO, Adma Hamam de (Org.). (2016): Brasil: uma visão geográfica e ambiental no início do século XXI. Rio de Janeiro: IBGE, Coordenação de Geografia.

FIGUEIREDO, Lívia Marques Ferrari de; Tuzzo, Simone Antoniaci (2011): Célebre sociedade. Goiânia: Kelps.

FLICK, Uwe. (2009): Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed.

GOLDMANN, Lucien. (1980): Ciências Humanas e Filosofia. São Paulo: DIFEL.

GUARESCHI, Pedrinho A. (Org.). (2000): Os construtores da informação: Meios de comunicação, ideologia e ética. Petrópolis, RJ: Vozes.

HAVELAIS, Alexandre. (2011): Prefácio. In: Fragoso, Suely et al. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulinas.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2017): Disponível em: . Acesso em: 12 fev 2017.

ITAÚ – Itaú reúne vloggers e vovloggers em chá Digitau.(2016): 18 de julho de 2016. Agito SP. Disponível em: . Acesso em: 11 fev 2017.

JODELET, Denise. (1997): Representações Sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Org.). As representações Sociais. Tradução: Lílian Ulup. Rio de Janeiro: EdUERJAbric, J. C..

KERCJHOVE, Derrick de. (2009): A Pele da Cultura. São Paulo: Annablume.

______ (2016): Prefácio. In: Tuzzo, Simone Antoniaci. Os sentidos do impresso. Goiânia: Gráfica UFG.

MCLUHAN, Marshall. (1977): Entrevista concedida ao programa MondayConference – ABC, Austrália, em junho de 1977. Disponível em: . Acesso em: 15 jan 2017.

MAGALHÃES, Izabel. (2005): Introdução – A análise de discurso crítica. DELTA, São Paulo 21: Especial, p. 1-9.

MARCONI, Marina de Andrade; Lakatos, Eva Maria. (1986): Técnicas de Pesquisa. São Paulo. Editora Atlas.

______ (2007): Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Editora Atlas, 7ª ed.

MINAIO, Maria Cecília de Souza. (2000): O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em Saúde. São Paulo: Hucitec.

MORIN, Edgar. (2005): O método 4: As ideias. Porto Alegre: Sulinas.

MOSCOVICI, Serge. (2003): Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes.

REDAÇÃO ADNEWS. Fase da campanha de Natal do Itaú. (2016): Disponível em: . Propmark. 19 de dezembro de 2016. Acesso em: 11 fev 2017.

TRUJILLO FERRARI, Alfonso. (1982): Metodologia da pesquisa científica. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil.

TUZZO, Simone Antoniaci. (2016): Os sentidos do impresso. Goiânia: Gráfica UFG.

TUZZO, Simone A.; BRAGA, Claudomilson Fernandes. (2016): O metafenômeno no processo de triangulação da pesquisa qualitativa. Atas – Investigação Qualitativa em Ciências Sociais. 5º Congresso Ibero-Americano em Investigação Qualitativa (CIAIQ2016). Disponível em: . Acessoem: 10 out 2016.

______ (2017): A ressignificação do idoso no discurso midiático brasileiro. Atas. Investigação Qualitativa em Ciências Sociais. Volume 3. 6º Congresso Ibero-Americano em Investigação Qualitativa (CIAIQ2017). Disponível em: . pp. 449-458. Acesso em: 16 out 2017.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.



© Ámbitos. Revista Internacional de Comunicación. Fundada por el Prof. Dr. Ramón Reig en 1998.

ISSN versión impresa: 1139-1979 ISSN versión electrónica: 1988-5733 Depósito Legal: SE-1493-98

Licencia de Creative Commons

La Universidad de Sevilla se reserva todos los derechos sobre el contenido de las revistas científicas editadas por ésta. Los respectivos textos no pueden ser utilizados, distribuirse, comercializarse, reproducirse o transmitirse por ningún procedimiento informático, electrónico o mecánico con ánimo de lucro, directo o indirecto, ni tampoco incluirse en repositorios ajenos, sin permiso escrito de la Editorial Universidad de Sevilla. Podrán ser usados y citados para fines científicos y referenciados sin transformación para usos académicos, indicándose en todo caso la autoría y fuente, pudiendo para ello remitir al correspondiente enlace URL de Internet.

Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International (CC BY-NC-ND 4.0)

Las revistas alojadas en la plataforma de Open Journal Systems de la Universidad de Sevilla, en el dominio revistascientificas.us.es. Con el fin de asegurar un archivo seguro y permanente para la revista, la Universidad de Sevilla realiza una copia de seguridad cada 24 horas. Ello permite a todas las revistas electrónicas de la Universidad de Sevilla archivar y conservar sus contenidos, preservándolos de cualquier eventualidad. Si el contenido de alguna revista se pierde o se corrompe puntualmente, la Universidad de Sevilla acude a sus copias de seguridad diarias para recuperarlos.