ODAM – A CONSTRUÇÃO DO MODERNO EM PORTUGAL: ENTRE O UNIVERSAL E O SINGULAR / ODAM – The construction of the modern in Portugal: between universal and singular

Edite Maria Figueiredo e Rosa

Resumen


RESUMEN A ODAM explicita a inserção no espirito moderno de vertente universal e associativo, não apenas pela criação de um coletivo mas, pelo carácter abrangente do seu espaço de intervenção enquanto defensor de uma arquitetura moderna em Portugal. Desde o âmbito associativo, ao ensino, à prática profissional, até ao seu intercâmbio internacional, como testemunha a participação dos seus membros nos congressos CIAM a partir de 1951, o grupo ODAM afirma–se no debate à reivindicação dos ideais modernos em Portugal. Mas o mais significativo da produção moderna do grupo (manifestos, projetos, exposições coletivas e obras paradigmáticas) situa–se mais que no seu ideal, conforme aos grandes grupos de referência, à consciência do necessário ajuste à circunstância específica local, pobre e periférico, o que se traduziu em ensaios compartilhados, de mais–valia diferenciadora. Esta análise retrospetiva e crítica da ODAM enquanto parte do quadro mais alargado que caracteriza as “Arquitecturas em común” do moderno, para além de (re)afirmar o seu carácter universal, compreendido atualmente cada vez mais pelos seus discursos diversos, atesta a revisão crítica dos dogmas arquitetónicos modernos, presentes à data, nas arquiteturas do pós–guerra, emergentes no contexto europeu. De uma leitura, mais implícita que explicita, ressalta ainda a importância do debate, pensamentos e sobretudo da produção arquitetónica do grupo ODAM como génese da atual arquitetura portuense.

SUMMARY ODAM makes clear the insertion in a modern spirit with a universal and associative face, not only by creating a collective, but for the wide character of its intervention space while advocate of a modern architecture in Portugal. From the associative scope, the teaching, the professional practice to its international exchange, as witnesses the participation of its members in CIAM congresses since 1951, ODAM group makes its statement through debating the counterclaiming of modern ideals in Portugal. However, the most meaningful of this group modern production (manifestos, projects, collective exhibitions and paradigmatic works) is placed more than in its ideal, as per to the great reference groups, in the awareness to the adjustment of the local specific circumstance, poor and peripheral, which acknowledged shared essays of unique added value. This retrospective analysis and critique of ODAM, while part of the wider picture that characterizes the “Arquitecturas en común” of the modern, besides (re)stating its original universal character, in our days comprehended more and more by its diverse speeches, vouches the critical revision of the modern architectural dogmas, at the time, present in the post–war architectures emerging in the European context. Of a more implicit than explicit reading, stands out the importance of debates, thoughts and most of all of ODAM’s architectural production as genesis of today’s Oporto architecture.


Palabras clave


ODAM, Movimento Moderno, CIAM, Arquitetura Portuense / ODAM; Modern Movement; Oporto Architecture

Referencias


ALÉO (Semanário). Novembro 1945. Porto: s.e. 1945.

Almeida, Pedro Vieira de: A arquitectura do estado novo, uma leitura crítica. Lisboa: Horizonte, 2002.

Arquitectura: Revista Arte e Construção, 2.ª série, ano XX. N.º 19 Lisboa: s.e., 1947-1960.

Barbosa, Cassiano (Com.): ODAM: Organização dos Arquitectos Modernos do Porto, 1947-1952. Porto: Edições ASA, 1972.

Edite, Rosa (Com.): ODAM, 60 anos depois | Evocação da Exposição de 1951. Porto: Organização OASRN 2011.

Edite, Rosa: ODAM: Valores modernos e a confrontação com a realidade produtiva. Directora: Teresa Rovira LLobera. UPC, Departamento de Proyectos Arquitectónicos - ETSAB, 2006. Consórcio de Bibliotecas da Catalunha, TDX, 2010. ISBN 9788469312476.

Fernandez, Sérgio: Percurso: Arquitectura portuguesa 1930/1974. Porto: FAUP publicações, 1985.

Tostões, Ana: Os Verdes anos da arquitectura portuguesa dos anos 50. Porto: FAUP publicações, 1994.

Union Internationale des Architectes (UIA): Troisième Congrès de l’Union International des Architectes – Rapport Final. Lisboa: Librairie Portugal, 1953.




DOI: https://doi.org/10.12795/ppa.2014.i11.02

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.
';