Usos públicos da história no Brasil contemporâneo: demandas sociais e políticas de Estado

Autores/as

  • Luis Fernando Cerri

Palabras clave:

Didática da história, usos sociais da história, festas cívicas, propaganda, identidades sociais

Resumen

Discute-se os elementos de pressão por mudanças na abordagem pública da História por parte do Estado Nacional, tanto nas ações voltadas ao setor educacional formal (sobretudo reformas curriculares) quanto nas atitudes propagandísticas de significação para a identidade nacional (propaganda oficial e festas cívicas). Com base na metodologia de análise de conteúdo, dedicamos atenção aos temas da festa dos 500 anos do Descobrimento, em 2000, sob o governo neoliberal de Cardoso, e dos novos significados promovidos sob o governo Lula da Silva sobre a identidade dos brasileiros. Entre essas políticas de re-significação da identidade nacional contam-se a campanha publicitária que pretende resgatar o valor do cidadão comum inspirada na frase do folclorista Câmara Cascudo, "O melhor do Brasil é o brasileiro", bem como a Lei Federal que torna obrigatório no sistema educacional o tema da História e Cultura Afro-Brasileira. Estes usos são analisados comparativamente aos usos da História promovidos pelo regime militar brasileiro (1964-1985), especialmente as comemorações dos 150 anos da Independência do Brasil (1971) em busca das mudanças e permanências. Com essa investigação pretende-se contribuir para o acúmulo de idéias e conhecimentos em favor da nova e ampla compreensão da Didática da História de J. Rüsen e K. Bergmann, entre outros.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Métricas

Cargando métricas ...

Biografía del autor/a

Luis Fernando Cerri

Professor do Departamento de História e do Programa de Mestrado em Educação da Universidade Estadual de Ponta Grossa – Paraná – Brasil

Descargas

Publicado

2006-04-01

Número

Sección

Las ideas. Su política y su historia