Corpo potencia e política - Espinosa e os direitos das mulheres

Maria Luísa Ribeiro Ferreira

Resumen



O presente texto procura trabalhar algumas acepções do conceito de corpo em Espinosa atendendo aos seus aspectos físicos, psíquicos, metafísicos e políticos. Também toma em conta a dupla condição do corpo - enquanto existente na duração e enquanto pensado por Deus. A noção de "conatus", presente em todos os corpos, é pretexto para lembrar a recente obra de António Damásio, A Estranha Ordem das Coisas e para comparar a potencia individual que habita os indivíduos com a potencia política que existe nas sociedades. é nessa perspectiva que se analisa o modo como o lósofo considera a condição feminina. tentando-se perceber a severidade com que ele encara a actuação das mulheres no corpo político. Sobre esta temática apresentam-se os posicionamentos de algumas lósofas feministas (Geneviève Lloyd, Moira Gaytens, Beth Lord e Margaret- Gullan Wuhr) apreciando- se criticamente as suas teses. O texto termina com a interrogação "Estará vedado às mulheres o "amor intellectualis Dei"?", sustentando que no livro V da ética encontramos elementos que asseguram às mulheres uma salvação de pleno direito, sem que para tal tenham que renunciar ao seu corpo.

Palabras clave


corpo, conatus, poder político, corpo político, homeostasia, democracia, mulheres e democracia, interpretações feministas de Espinosa, a salvação das mulheres

Texto completo:

PDF

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


ISSN de la edición impresa: 1575-6823
ISSN digital: 2340-2199
Depósito legal: SE 235-2015
 Estadisticas anuales