Adam Smith em Pequim: Origens e fundamentos do século XXI

Marco Aurélio Rodrigues da Cunha e Cruz

Resumen



Em 19 Janeiro de 2011 o encontro histórico do líder chinês, em solo estadunidense,
com Barack Obama indicou o sinal dos novos tempos. No dia 14 de
Fevereiro foi propalada a notícia de que a China ultrapassou o Japão e se tornou
a 2ª maior economia do mundo, ao alcançar seis trilhões de dólares no
seu produto interno bruto. É incontroverso, pois, que a China desponta como
potência mundial e lidera o renascimento econômico oriental. Este desempenho
adquirido pelos chineses interfere, de maneira decisiva, nas relações com
os demais países, e ressoa, nomeadamente, no modo de entender a economia
mundial. Neste contexto, para raciocinar sobre este tema, não se pode avançar
em análises geoeconômicas negligenciando sobre os seus reflexos na órbita do
principal ator econômico global: os Estados Unidos. A ascensão chinesa e as
repercussões internacionais que dela emanam, primordialmente em terras estadunidenses,
são os condutores do livro do sociólogo italiano Giovanni Arrighi
Adam Smith em Pequim: origens e fundamentos do século xxi.

Palabras clave



Texto completo:

PDF

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


ISSN de la edición impresa: 1575-6823
ISSN digital: 2340-2199
Depósito legal: SE 235-2015
 Estadisticas anuales